"OUVINDO O SILÊNCIO!"

         Os japoneses são famosos por muitas razões. Os seus automóveis contam-se entre os melhores do mundo, os seus rádios e aparelhos de som são excelentes. Mas, hoje não vou referir-me a nenhuma destas coisas, caro amigo. Quero apenas contar uma pequena anedota japonesa que achei muito engraçada. Ei-la: Três homens um dia decidiram adoptar a prática ascética de guardar o silêncio absoluto até à meia-noite, altura em que iriam contemplar a lua cheia. Passado algum tempo um dos homens, distraidamente, exclamou: "Ora, é muito difícil não abrir a boca!". Ao ouví-lo falar, um dos outros disse: "Você está a falar e isso é proibido!". Então, o terceiro, indignado com os outros dois, saiu com esta: "Vejam lá, sou eu o único que não falou" .......

        De anedotas a adágios, e estou a lembrar-me daquela que diz que "a palavra é de prata, mas o silêncio é de ouro". Mas, hoje em dia, parece haver muito pouco desse "ouro", caro amigo. Pois vivemos num mundo não só cheio de palavras, mas acima de tudo, cheio de barulho. Ruidos de trânsito, de aviões e de certos aparelhos de som que, muitas vezes, se tornam em verdadeiras fontes de barulho. E como alguém, uma vez disse: "No meio do barulho não se consegue ouvir o silêncio .......

        "Ouvir o silêncio", eis um pensamento interessante, prezado amigo. Apanhámos este pensamento há tempos através da leitura de um artigo publicado numa revista bem conhecida, e do qual vamos fazer algumas observações .......

         O homem moderno começa o seu dia com o som do seu rádio-despertador; usa rádio ou leitor de CD´s no carro; ouve o que se chama "música de ambiente" no elevador e no escritório. E termina o dia com o ruido do televisor em casa, e é capaz de passar a noite ouvindo o barulho dos cães a ladrar na rua .......


        O silêncio tornou-se um vácuo que o homem abomina. Já não é normal ou bom em si próprio; é apenas compreendido como simplesmente a ausência de ruído. Mas, antes de existir o ruído havia sons - sons distintos do ruído, porque os sons emergem do silêncio. O silêncio foi o pano de fundo dos sons. Por exemplo, os moradores da cidade acordam com o ruído constante dos carros e motorizadas, dos eléctricos, dos aviões etc. e tornam-se nervosos no campo porque os sons campestres - dos grilos, das aves e de outros animais - são produzidos contra um fundo de silêncio. No campo há também menos conversação porque, para interromper o silêncio, é preciso ter alguma coisa para dizer. E, hoje em dia, há tanta gente que fala mas que não têm nada para dizer .......

        Um pensador suiço, uma vez, exprimiu uma ideia interessante sobre este assunto. Sugeriu que as pessoas ouvem rádio e música para terem a certeza de que estão realmente ali, que existem. Idea esta muito parecida com a pergunta que, antigamente, os sábios costumavam fazer, e que era esta: "Se uma árvore cai na floresta, fará algum ruído se não houver ninguém para ouví-lo?" Esta pergunta pressupõe que o homem existe, e quer saber se o som pode existir sem pessoas para o ouvirem. E, a julgar pelo barulho que há por este mundo fora, parece que o homem moderno também faz uma pergunta, e pode ser esta: "Se não houver barulho como é que eu vou saber se realmente existo" .......
        
        Muitas vezes as pessoas ligam o rádio ou a televisão porque estão sós. O ruído é como um remédio para a solidão, uma espécie de droga acústica. Mas, na realidade, a solidão pode representar uma ânsia por alguma coisa que não devia ser afogada no ruido. Se, tranquilamente, investigamos a solidão, podemos chegar a perguntar : "por que razão estou só?" ou, "para que estou só?" Mas, para dizer a verdade, tantas vezes temos medo da solidão. E porquê? .......

        Será que temos medo do silêncio? Não gostamos de estar sòzinhos sem ruídos e sem barulho? Eis uma pequena sugestão. Sugerimos que, em vez de continuar a navegar na Net, você desligue o seu computador, feche os olhos e, no silêncio, pense em Deus. E para o ajudar a pensar em Deus vamos citar um pequeno versículo da Bíblia. Encontra-se no livro dos Salmos e reza assim: "Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus ......." Apenas estas palavras, "Aquietai-vos" diz Deus, e isto quer dizer, fugir a todo o barulho e ruídos e, com um coração apaziguado, buscar o seu Criador. Por este pequeno versículo vemos, também, que é possível conhecer Deus. "Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus" diz. Ora, a Bíblia afirma que podemos conhecer Deus, mas ùnicamente por intermédio de Jesus Cristo, o Seu Filho, porque Ele disse, e citamos: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai senão por Mim" .......

        Sim, mesmo no meio dos ruídos e do barulho desta vida, você pode parar e ouvir o silêncio, o silêncio da Presença de Deus. Mas, dirá, sinto-me tão indigno na sua presença, tão imundo. A minha consciência acusa-me. Não se aflija, pois a Bíblia diz, também, que se Lhe confessarmos os nossos pecados Ele é fiel e justo e perdoar-nos-á os nossos pecados. Acabemos com o barulho e os ruídos da vida, e no silêncio ouçamos o som da voz de Deus a chamar. Ele quer falar connosco .......

Interessou-lhe a história? Quer dar mais um passo. Então veja!

©2002 Compilação Dois Dedos de Conversa

Mais histórias para você ler!

"Fugindo
do Amanhã!"

O Espelho
Não Mente!


Contém mensagens, material informativo e duas histórias com música.
1. Ilusões.
2. Enfrentando as realidades.

ENCOMENDE JÁ!